Coordenador da CDRS/CATI visita municípios atendidos com kits de alimentos do PAA – Cesta Verde um projeto que dá garantia de compra ao produtor e de alimento às famílias vulneráveis

Nos dias 7 e 8 de junho, Alexandre Grassi, dirigente da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS/CATI) e o assessor Francisco Martins, acompanharam as entregas de kits de alimentos para famílias vulneráveis em quatro municípios das regiões de Itapetininga, Ourinhos e Bauru, que são parte do PAA – Cesta Verde. O programa articula as ações para que agricultores familiares garantam uma renda direta com a entrega de seus produtos e as famílias vulneráveis, cadastradas pelos municípios, tenham alimentos de qualidade para compor a sua alimentação. Frutas, legumes, verduras, raízes e tubérculos compõem o kit e somam cerca de 10kg por cesta.

Os municípios visitados nesta quarta, 7 de junho, foram Sarapuí, Sarutaiá e Piraju e no dia 8 de junho Avaí, na região de Bauru, onde das 180 famílias atendidas, 60 são famílias de aldeias indígenas. Para Alexandre Grassi este projeto tem enorme importância econômica e social. “É emocionante ver a diferença que estes alimentos estão fazendo na vida das pessoas, tanto da parte de quem produz, como de quem recebe. Envolve uma grande parceria entre Estado e municípios e fortalece as instituições e a agricultura familiar. A verba é paga diretamente ao produtor, sem intermediários”. 

A quarta-feira começou com as entregas em Sarapuí onde a ação acontece uma vez por semana, atendendo 289 famílias em situação de vulnerabilidade. Normalmente são distribuídos cerca de 3.000kg, variando de acordo com a sazonalidade dos produtos. Em Sarutaiá são 400 cestas/famílias, com produtos de 20 agricultores familiares. As entregas começaram e abril e irão até outubro, de 15 em 15 dias. Em Piraju, as entregas também são quinzenais e atendem 260 famílias. Já foram entregues 12 toneladas de produtos envolvendo 10 produtores. Em Avaí, 180 famílias recebem produtos, também quinzenalmente, com entregas que variam entre 3.200 a 3.500kg por vez, produzidos por 19 agricultores familiares. Além do kit Cesta Verde, a Prefeitura de Avaí aproveita para acrescentar um kit Covid para higenização, composto por sabonetes, detergentes e afins. 

O projeto PAA-Cesta Verde vem sendo desenvolvido após um grande trabalho de levantamento e cadastramento de produtores rurais feito pelos extensionistas da CDRS, e as entregas tem sido feitas desde abril deste ano e irão até outubro na maioria dos 149 municípios elencados pelo Ministério da Cidadania. No total foram já foram entregues de abril até junho deste ano 100 mil cestas com produtos vindos de 1.094 agricultores familiares. O PAA – Cesta Verde envolve recursos de R$ 10,5 milhões neste ano, período que vai de abril até outubro de 2021. 


Famílias de Sarutaiá recebem os kits Cesta Verde durante visita de coordenador da CDRS-CATI

PAA com doação de kit Cesta Verde, um projeto que articula para que famílias em vulnerabilidade social e produtores rurais sejam beneficiados 

Passados pouco mais de um ano desde que o projeto foi iniciado com o contato aos produtores, cadastramento, levantamento de produtos, a primeira entrega de alimentos do Programa de Aquisição de Alimentos – PAA Doação Simultânea com doação de kit Cesta Verde em São Paulo, teve início em abril e já é possível ter um quadro geral de quanto essa parceria pode contribuir, tanto com os agricultores familiares que tiveram a possibilidade de uma venda certa e segura de seus produtos, quanto às famílias em vulnerabilidade social agravada pela pandemia. O Projeto é resultado de um termo de adesão que foi assinado pelo Governo do Estado de São Paulo com o Ministério da Cidadania e prevê o repasse de uma verba total de R$ 10,5 milhões, que estão sendo repassados diretamente ao produtor rural cadastrado. Foi um trabalho gigantesco, que movimentou centenas de pessoas em todo o Estado para que houvesse essa combinação de auxílio em uma ponta, as famílias recebedoras, e na outra com as famílias produtoras destes alimentos. 

O projeto permitiu aos agricultores familiares um instrumento de apoio para acesso ao mercado, que neste momento ainda está retraído em função do longo período da pandemia. Por outro lado, e não menos importante, auxilia as famílias que se encontram em situação de vulnerabilidade alimentar que passaram a ter acesso a um kit de alimentos balanceados e saudáveis vindos da agricultura familiar paulista. 

A cargo desta empreitada estiveram à frente, desde o início, a zootecnista Fabiana Ferreira Gouvêa, diretora da CDRS Regional Jaboticabal, e o engenheiro agrônomo Maurício Konrad, da Casa da Agricultura de Adamantina e Rolando Salomão, diretor da CDRS Regional Barretos. Eles ficaram responsáveis pela mobilização e capacitação dos técnicos que se incumbiram de chegar a proposta aos agricultores familiares de cada um dos 149 municípios elencados pelo Ministério da Cidadania por terem as características necessárias, como população de até 50 mil habitantes e com índices muito alto, alto e médio de Insegurança Alimentar, e agricultores familiares aptos. “Durante a pandemia do novo coronavírus, o programa foi um destaque para a agricultura familiar, que ganhou mais importância neste momento de crise econômica, e consequentemente proporcionou aos vulneráveis uma alimentação saudável”, aponta Fabiana Gouvêa. 

“Coube à CDRS/CATI, como órgão de extensão rural fazer o contato com os produtores, verificar a possibilidade de entrega dos produtos acertados, orientá-los, enfim, para que pudessem aderir. Nesse trabalho, também foi fundamental o apoio das prefeituras em levantar o cadastro das famílias em situação de vulnerabilidade e verificarem juntos, Estado e município, a melhor logística de distribuição. Ao longo do tempo alguns ajustes precisaram ser feitos, como a troca de produtos por outros similares, devido à sazonalidade normal das horticulturas, mas é notável o sucesso do PAA-Cesta Verde, importante política pública que tem contribuído em garantir a segurança alimentar dos que mais necessitam, além de valorizar e beneficiar os produtores rurais que nunca deixaram de abastecer a população, por mais difícil que esteja sendo cumprir essa missão”, afirma Alexandre Grassi, coordenador da CDRS/CATI. 

Outro parceiro importante da CDRS/CATI na Secretaria de Agricultura foi a Coordenadoria dos Agronegócios (Codeagro). “A montagem das cestas, a manipulação dos itens e a entrega aos beneficiários tem seguido todos os critérios sanitários preconizados, como a higiene pessoal constante, o uso de máscaras e o distanciamento social”, afirma a nutricionista da Codeagro, Sizele Rodrigues. 

As entregas continuam a ser realizadas todas as semanas nos municípios e uma nova proposta para continuidade já está em andamento. 


Foto 1 - Sarapuí, entregas semanais de 289 kits Cesta Verde para famílias em situação de vulnerabilidade. Foto 2 - Em Piraju, a preparação das cestas começa logo pela manhã, cerca de 12 toneladase alimentos  já foram entregues para 260 famílias

PAA – Cesta Verde

- Período de execução: de julho de 2020 a dezembro 2021

- Total de recursos: R$ 10,5 milhões

- Edital Recebimento das Propostas dos Agricultores Familiares: de setembro a novembro 2020

- Aprovação da Proposta Estadual pelo Ministério da Cidadania: 27/01/2021

- Lançamento - Início das Entregas das Cestas Verdes: 12/03/2021 em Biritiba-Mirim com a presença da equipe do Gabinete da SAA e da Primeira Dama do Estado, Bia Dória (Piloto do PAA-Cesta Verde)

- Beneficiários Recebedores dos alimentos (cestas verdes): Entidades Socioassistenciais ou Equipamentos Públicos (CRAS e CREAS)

- Cesta Verde: kit de 10kg de frutas, legumes e verduras

- Número de cestas entregues até junho/2021: 100.000 (cem mil cestas)

- 1.000 toneladas de FLV entregues até junho/2021

- 1.094 produtores rurais (característica de agricultores familiares) que já iniciaram as entregas, com previsão de 1.621 até novembro de 2021

- 100.000 (cem mil) famílias em situação de vulnerabilidade social atendidas, até junho/2021

- Valor pago aos agricultores familiares (beneficiários fornecedores) até junho/2021,

R$ 2.800.000,00

Municípios participantes: 149 em situação muito alta, alta e média vulnerabilidade no Mapeamento de Insegurança Alimentar e Nutricional do Ministério da Cidadania.


Graça Moreira D'Auria (mgdauria@sp.gov.br)
Jornalista - Centro de Comunicação Rural
(Cecor/CDRS-CATI/SAA)