Secretário de Agricultura participa de reunião na CATI para balanço das ações de 2015 e diretrizes do próximo ano

No último dia 10, o secretário de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, Arnaldo Jardim, esteve no auditório da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), em Campinas, onde reuniu-se com os coordenadores dos institutos que integram a Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA), para que fosse apresentado um balanço das ações realizadas em 2015 e um planejamento para o próximo ano.


Estiveram presentes José Carlos Rossetti, coordenador da CATI; Fernando Buchala, coordenador da Coordenadoria de Defesa Agropecuária (CDA); Orlando de Melo Castro, coordenador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta); Sérgio Murilo, da assessoria do gabinete da SAA; servidores técnicos e administrativos da CATI.


Ao iniciar a reunião, José Carlos Rossetti agradeceu pelo empenho da equipe da instituição e solicitou aos servidores técnicos e administrativos que continuem trabalhando com dedicação em suas atividades. “Vocês são fundamentais na agropecuária paulista e, por meio da atuação de cada um, é possível afiar o machado que irá contribuir para um melhor desempenho de nossas ações, projetos e programas”.


Arnaldo Jardim agradeceu pela parceria da CATI e informou que todas as visitas, conversas, mensagens de alertas e de cobranças feitas pelos técnicos das Regionais e das Casas de Agricultura impulsionaram a atuação da Secretaria de Agricultura. Jardim aproveitou para destacar quais serão as diretrizes para 2016. “A Secretaria de Agricultura é amigável à do Meio Ambiente e as tais devem sempre caminhar juntas. Já temos bons exemplos dessa parceria: quando começamos a divulgar a importância do preenchimento do Cadastro Ambiental Rural (CAR), tínhamos 28% das entidades cadastradas e, com o empenho dos servidores da CATI, esse número saltou para 78%. Outro ponto relevante relaciona-se à integração entre a pesquisa e a produção, que não caminham sozinhas. Deve haver uma aproximação maior entre elas. Outro foco refere-se à saudabilidade dos alimentos consumidos pela nossa população, o que atualmente é uma exigência internacional. Devemos orientar os produtores a produzirem bem e com qualidade. Essas são algumas das metas de nosso trabalho, que é totalmente voltado ao pequeno produtor, à agricultura familiar”, pontuou Jardim, que ainda enalteceu o Projeto Microbacias II – Acesso ao Mercado.   “Onde o Microbacias está presente, percebe-se mudança na vida das pessoas e na economia dos municípios”.



João Brunelli Júnior apresentou, durante o encontro, alguns dados de um levantamento econômico que está em andamento junto às organizações rurais participantes do Projeto. “Estamos fazendo entrevistas junto aos produtores rurais e percebemos que realmente a maioria deles está tendo um salto em suas rendas. Na Associação dos Cafeicultores de Montanha de Divinolândia (Aprod), por exemplo, ao compararmos a situação antes e depois do Projeto, percebeu-se que a renda mensal por beneficiário passou de 0,46 para 7,38 salários mínimos, o que mostra uma mudança econômica significativa na vida de uma comunidade”, afirma Brunelli. O Microbacias II conta com 205 iniciativas de negócio apoiadas, 10 projetos comunitários de comunidades indígenas e quilombolas apoiados, 6.057 famílias de produtores diretamente beneficiadas, 16 diferentes cadeias produtivas contempladas e 63 iniciativas com implantação finalizada.


Fernando Penteado, secretário-executivo do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista – Banco do Agronegócio Familiar (Feap-Banagro), apresentou as novas regras de financiamento para a contrapartida das associações e cooperativas beneficiadas pelo Projeto Microbacias II que, entre outras novidades, conta agora com a possibilidade de o financiamento ser feito apenas com o aval dos representantes legais das entidades proponentes. E ainda o gerente técnico do Projeto Microbacias II, da CATI, João Brunelli Junior, poderá autorizar a dispensa de determinados documentos, facilitando a liberação de propostas de crédito. Houve também um aumento no limite de enquadramento das cooperativas de produtores rurais para obtenção de apoio financeiro pelo Feap. “O valor que até a última reunião era de R$ 3 milhões líquidos anuais da cooperativa, agora passa a ser de até R$ 4,8 milhões, esse aumento foi calculado com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)”, ponderou Penteado.


Alexandre Grassi, da assessoria do gabinete da CATI, e Paulo Interliche, da CATI Regional Ourinhos, apresentaram aos presentes o Tutorial para Aplicação da Resolução SAA 11, de 14/04/2015(www.cati.sp.gov.br/new/produtos/publicacoes/ComunicadoTecnico146-CATI-SAA.pdf), que atualiza a definição de pequeno produtor e fornece mais detalhadamente os quesitos a serem cumpridos pelos agropecuaristas no processo de recuperação de áreas degradadas. Para elaborar um projeto de recuperação do solo, o produtor rural pode pedir apoio, de forma gratuita, aos técnicos da CATI.


Também foram mostradas, pelo coordenador da CATI, José Carlos Rossetti, as ações e os resultados dos projetos de Mitigação de Carbono e do Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas por Grandes Erosões (Radge). Foi feito um balanço sobre as ações da cadeia produtiva do leite, por Carlos Pagani Netto, responsável pelo CATI Leite e apresentadas por José Augusto Maiorano, da CATI Regional Campinas, as ações sobre a cadeia de Fruticultura.


Sérgio Murilo Hermógenes Cruz, assessor de Assuntos Institucionais do Gabinete da SAA, agradeceu o empenho da instituição dizendo que todos são fundamentais para aumentar a qualidade de vida e de renda dos cerca de 300 mil produtores rurais paulistas. “Vamos formalizar novas parcerias junto aos municípios, para que a agricultura seja ainda mais beneficiada”.


O encerramento contou com um debate entre o secretário Arnaldo Jardim e os diretores das Regionais da CATI. “A presença da Secretaria de Agricultura é significativa. Nossos projetos e ações estão chegando mais nos produtores e na sociedade e esse positivo balanço deve-se muito à nossa equipe”, finalizou Jardim.